Copo de Leite

O Copo de Leite está entre as flores mais conhecidas no Brasil. Porém, a planta de nome científico Zantedeschia Aethiopica, também chamada de Lírio do Nilo é oriunda do Sudeste da África. Geralmente, a flor é encontrada em locais próximos a rios, pois necessita de uma terra molhada para se desenvolver adequadamente.

Atualmente ela é bastante utilizado para enfeitar jardins e também faz parte de decorações internas e festas. Isto se deve à sua beleza e elegância. Normalmente, a planta pode atingir trinta centímetros ou até mesmo um metro e meio de altura. Dependendo do solo em que for plantada e dos cuidados que irá receber.

O copo de leite em sua grande maioria é encontrado na cor branca. Porém, hoje em dia a manipulação orgânica e cruzamento de sementes permitem que a flor nasça em outras cores, mas isto requer conhecimentos botânicos.

Quando o Copo de Leite floresce

copo de leiteA melhor época para plantar o copo de leite é durante o outono, quando o clima está mais fresco, assim a planta com o calor em excesso nem o frio intenso. A flora só irá florescer no início da primavera.

Sendo esta uma excelente opção para quem deseja enfeitar o jardim com belas flores brancas.

Como cuidar do Copo de Leite

Os primeiros cuidados com o copo de leite começam na hora de plantá-lo. Isto porque, se ele for fixado em um vaso é preciso que o recipiente tenha mais de 15 cm de altura.

Ela cresce bastante, então é necessário que tenha espaço para expandir a sua raiz. Do contrário pode não se desenvolver.

O vaso deve ser preenchido com terra preta e areia de rio. Feito isso, saiba que o copo de leite deve ser regado diariamente, pois é importante que a terra fique molhada e não apenas úmida, uma vez que a planta absorve muita água.

Cuidados com o Copo de Leite

Ao tratar do copo de leite é necessário tomar alguns cuidados, pois a planta contém oxalato de cálcio, que é uma substância tóxica e está presente no pólen. Sendo assim, evite passar as mãos nos olhos enquanto mexe na planta e cheirá-la muito próxima do nariz.

2 Comentários
  1. Maira Ines Cecagno
    | Responder

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *