Angélicas

As Angélicas são flores imponentes e resistentes, mesmo tendo uma aparência frágil. A planta é cientificamente chamada de Polianthes tuberosa e tem nomes populares como, por exemplo, Angélica-de-bastão, Jacinto-da-India e Tuberosa. Além disso, é oriunda da América do Norte. Mais especificamente do México, o que a faz necessitar de um clima mais quente para se desenvolver.

Estas flores possuem uma estrutura bulbosa, tendo uma estrutura mais densa, principalmente no caule que é mais grosso. Originalmente, as angélicas são encontradas na cor branca, mas podem variar de acordo com a manipulação durante o plantio. As plantas são grandes, podendo atingir de quatro a seis metros de altura.

As regiões com clima quente constante são as ideais para elas se desenvolverem adequadamente, pois elas necessitam de alta luminosidade para receberem os nutrientes que são fundamentais para o seu crescimento.

Quando as Angélicas florescem

angélicasGeralmente, as angélicas florescem antes do final do verão e as suas flores duram por todo o outono, sendo uma excelente alternativa para quem deseja ter uma planta resistente e que enfeite o jardim com elegância.

Como cuidar das angélicas

As angélicas atingem um tamanho grande quando crescem. Sendo assim, elas requerem um espaço apropriado para a sua estrutura. O ideal é plantá-las diretamente na terra, que antes deve ser revirada para deixar os nutrientes por cima. Mas, se as flores forem plantadas no vaso, o recipiente deve ter pelo menos meio metro de profundidade.

Além disso, a terra do vaso deve ser trocada a cada dois meses, pois assim os nutrientes são renovados e continuam fornecendo os substratos necessários para que a planta mantenha-se saudável.

As flores devem ser irrigadas pelo menos três vezes por semana, porém, não é preciso deixar o solo encharcado, basta umedecê-lo. Ao crescerem as angélicas iram desenvolver bulbos e folhagens que os emolduram. Durante o inverno, quando as folhagens secarem é indicado arrancar os bulbos para quem a planta se renove e nasça mais forte.

Por fim, as angélicas precisam ficar expostas a luminosidades solar por pelo menos 6 horas por dia.

2 Comentários
  1. marta crepaldi
    | Responder
    • Adriano
      | Responder

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *